sábado, 3 de janeiro de 2009

Porque hoje é sábado! (Parte 16)


Ao te conhecer, te senti em mim.
Deu-se naquele momento, uma grande fusão:
Pensamentos, idéias, gostos...
Defeitos e qualidades.

Éramos como dois grandes espelhos
que ao serem colocados frente a frente
absorvia-mos um ao outro
e multiplicavamos nossos seres.

Nossos olhos estão vendados
pelas circunstâncias e situações.
Tu, te negas a si mesma.
Eu, me nego, renego e sofro calado.

Tu me perguntas quem és,
como se a ti própria não conhecesses.
Bem mais que eu,
sabes quem és e o que significas para mim.

Desvenda teus olhos.
Abre tua alma
E deixa-te reconhecer
refletida em mim (como num espelho)

Te perde em nossa contemplação.
Só nossa...
E vem comigo,
alma-gêmea de minh´alma.





Foto de Daniel Oliveira
(http://olhares.aeiou.pt/white_flake_foto2436725.html)

Poesia de minha autoria, escrita em 23/08/1981

Recife - PE
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário. Sua opinião, sugestão e crítica construtiva, sempre será bem-vinda.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...