segunda-feira, 27 de abril de 2009

Carne de Bode


Seguindo a tradição de falar sobre a rica gastronomia nordestina e pernambucana às segundas-feiras, hoje falaremos sobre uma carne que causa muitas controvérsias com relação ao paladar, por ser uma carne de fortes características de sabor e textura, mas que é largamente apreciada na região, contando com vários restaurantes especializados e agora já com penetração internacional na Europa e América: a carne de bode.

O consumidor local descobriu o que o sertanejo sabe há muito tempo: os benefícios do produto como o menor teor de gordura e o sabor. O bode cozinhado de maneira simples que alimenta as famílias do Sertão tornou-se até ingrediente de receitas de luxo dos chefs renomados.

A carne de bode, quem diria, está fazendo sucesso nos Estados Unidos. Na retrospectiva 2008 da “Time”, ela figura entre uma das tendências da gastronomia. Embora seja relativamente difícil de ser encontrada naquele país, segundo a revista, sua carne magra vem conquistando comensais, e algumas propriedades da Califórnia já criam animais para fins comerciais, permitindo que chefs sirvam em seus restaurantes pratos como linguiça de bode e cabrito assado.

O Bodódromo, localizado em Petrolina, sertão pernambucano, é o maior complexo gastronômico ao ar livre da América Latina quando o assunto é carne de bode. No Bodódromo, os turistas podem apreciar o principal prato típico da região: bode assado. Com mais de dez restaurantes, o local, situado na Av. São Francisco, ainda dispõe de área para shows musicais, quiosques e lanchonetes.


Um dos maiores diferenciais da carne caprina é o baixo teor de gordura: a cada 100 gramas, contém 2,76 gramas, contra 3,75 gramas na de frango sem pele e 17,14 gramas na bovina. Também é uma carne rica em ferro, mineral cuja carência pode causar anemia e atraso no desenvolvimento das crianças: são 3,54 gramas, o dobro da quantia encontrada na carne de frango.Os caprinos foram domesticados por volta do século 8º a.C., na mesma época que os ovinos, no sudoeste da Ásia. Ao Brasil, chegaram com os colonizadores portugueses, no século 16.

Harmoniza muito bem com os vinhos da uva Shiraz.

Recife - PE

(com informações do blog "A Paraíba tem")
Comentários
7 Comentários

7 comentários:

Isoldinha disse...

Uau!!
Fiquei com água na boca...mas aqui no RS, acho que não vendem carne do bode... agora vou ter que criar um bode...mas se eu criar um bode nunca terei coragem de comê-lo!
Viu o que tu fez!!! hehehe me criou um problema... e agora que será de mim? hahahaha

beijão, ótima semana!

Ninguém envolvente disse...

Hmmm... sei não hein rs! Acho que dispenso, por preconceito mesmo, tenho tbm dó do bodinho rs.

eufalonalata disse...

Sou nordestina,mas não aprecio essa carne, talvez por préconceito, não sei.
Bom, obrigada por ter passado no meu blog.

Eu li o seu post sobre "nossos ministros", pensamentos parecidos, né?

bjs

Manhosa LobaVirtual disse...

Amigo do Coração

A carne de bode... tem seu sabor proprio... similar a caça...
Mas a maneira de ser feita que é sua arte principal...
Por aqui não tenho a oportunidade... mas quando vou ai para os teus lados... esta sempre na programação...

Bjs.

Silvia Masc disse...

Ainda não experimentei, mas considerando o princípio de que tudo que anda é comestível... quem sabe...rsrs

beijo moço

Enely Gomes disse...

Eu tenho uma churrascaria aqui em Serra Talhada e nossa especialidade é baião de dois com carne de bode na brasa.Devido ser uma carne muito suculenta é proucurado por muita gente.

Agostinho Lopes disse...

Cara Enely!

Deu água na boca ler sobre sua especialidade. É, de fato, uma carne muito saborosa.

Dia desses eu fiz uma experiência que deu muito certo. É a de preparar a carne de bode ao leite de coco. Saborisíssima.... Se ler essa mensagem, faça contato por meu e-mail (agostinho.lopes@gmail.com) para trocarmos idéias.

Abraço

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário. Sua opinião, sugestão e crítica construtiva, sempre será bem-vinda.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...