sábado, 20 de junho de 2009

De cara nova


A partir de hoje, o "Salada" inaugura uma "cara nova". Um lay-out diferente, para ficar diferente, sempre novo, mas "sempre o mesmo".

Para comemorar, deixo um pouco de Fernando Pessoa, em "algumas pinceladas".

O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.

E os que lêem o que escreve,
Na dor lida sentem bem,
Não as duas que ele teve,
Mas só a que eles não têm.

E assim nas calhas da roda
Gira, a entreter a razão,
Esse comboio de corda
Que se chama o coração.

(autopsicografia)

()()()()()()()

Quero para mim o espírito desta frase, transformada a forma para a casar
com o que eu sou:
Viver não é necessário; o que é necessário é criar.

**********

Eu amo tudo o que foi
Tudo o que já não é
A dor que já não me dói
A antiga e errônea fé
O ontem que a dor deixou
O que deixou alegria
Só porque foi, e voou
E hoje é já outro dia.

##########

Porque quem ama nunca sabe o que ama
Nem sabe porque ama, nem o que é amar
Amar é a eterna inocência,
E a única inocência, não pensar...

==========

Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas ...
Que já têm a forma do nosso corpo ...
E esquecer os nossos caminhos que nos levam sempre
aos mesmos lugares ...

É o tempo da travessia ...
E se não ousarmos fazê-la ...
Teremos ficado ... para sempre ...
À margem de nós mesmos...

#!#!#!#!#!

Indico ainda, a leitura de um novo blog, onde pretendo, vez em quando,
postar histórias minhas e alheias, em forma de contos.
Visitem, então, o "Um conto, um canto"

http://umcontoumcanto.blogspot.com

Obrigado!

Recife - PE
Comentários
1 Comentários

1 comentários:

Claudinha disse...

ficou lindo aqui. Tu arrasa, como sempre.

Te adoro.

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário. Sua opinião, sugestão e crítica construtiva, sempre será bem-vinda.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...