segunda-feira, 3 de agosto de 2009

E já que estamos no país da pizza....



Sem permissão da Sílvia, do blog "Molly - Colecionadora de Receitas, vou reproduzir um post seu, que ensina como fazer uma pizza caseira. Fazendo justiça ainda à sua colaboradora, Flávia Pinto, que lhe enviou a receita.

Espero que aproveitem.

- geralmente a pizza fica borrachuda em casa porque o forno comum não costuma ultrapassar os 280ºC, enquanto um bom forno a lenha pode passar dos 500ºC. Há duas formas de driblar o problema. Você pode usar uma pedra própria para pizza, à venda nas lojas de utensílios para cozinha (custa em média R$ 80), ou cobrir a grade mais baixa com tijolos refratários de acabamento (mais fininhos). Os dois materiais retêm calor, elevam a temperatura do forno e deixam a pizza mais crocante.

A massa é facinha de fazer, aqui vai a receitinha do Mellão: em uma bacia, quebre 100 gramas de fermento biológico fresco (compre a varejo na padaria, é mais fresquinho) e dissolva em um pouquinho de água morna. Comece a juntar a farinha de trigo, misturando com a mão - ao todo, você vai usar 1 kg de farinha. Enquanto mistura, vá adicionando 100 ml de azeite, 2 pitadas generosas de açúcar, 3 pitadas generosas de sal, 20 gramas de gordura vegetal (teve gente que detestou a idéia, mas o Mellão garante que a pizza não fica crocante sem ela…) e cerca de 1/2 litro de água mineral. A massa deve ficar elástica e um tantinho só grudenta nas mãos. Depois cubra com filme plástico, coloque um cobertor por cima e deixe descansar (e crescer muito!) por umas duas horas.

Abra a massa com um rolo, usando um pouco de farinha para não grudar (não faça uma pizza muito grande, ou você vai ter problemas para equilibrar tanta massa). Coloque o disco (ele vai ficar só mais ou menos redondo…) no forno, por 3 minutos, direto sobre a pedra, que já deve estar bem quente.

Quando a borda já estiver ligeiramente dourada, tire do forno e espalhe o molho de tomates. Conte 2 tomates (do tipo italiano ou débora) por pizza pequena. O Mellão gosta de triturá-los no moedor de carne, mas quem não tem pode dar uma batidinha ligeira no liquidificador (com casca, semente e tudo), temperando com sal, pimenta-do-reino moída na hora e ervas frescas (orégano, de preferência). Use o molho cru mesmo, jamais cozido. Esse foi o momento em que os alunos começaram a espalhar os tomates sobre a massa. A aula já tinha virado uma bagunça deliciosa.

Pois bem, mais dois minutinhos de forno, só com os tomates sobre a massa. E só então é hora de colocar a cobertura. A primeira da noite foi de presunto cru (as fatias têm que ser finíssimas) com mussarela de búfala - a pizza foi mais 1 minutinho pro forno, só o tempo de derreter o queijo.

Depois teve de escarola (só fervida na água com sal) com cubinhos de ricota defumada e passas brancas, dá uma olhada.

Resumo da ópera: pra fazer pizza em casa, são necessários três estágios de forno. Primeiro só a massa, depois com os tomates e, por fim, com a cobertura.



Recife - PE
Comentários
1 Comentários

1 comentários:

Marcela disse...

Que vontade de ir fazer agora mesmo!

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário. Sua opinião, sugestão e crítica construtiva, sempre será bem-vinda.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...