sábado, 12 de dezembro de 2009

Nomes "sem noção"



Confesso! Tenho algumas manias que não sei se são comuns à maioria dos "cêres umanos". Uma delas só posso praticar temporariamente, como nessa época agora, por exemplo.

Estou falando da mania de ler listas de aprovados em vestibulares, em busca de nomes exdrúxulos e ficar "elocubrando" como sentem-se os portadores dessas "jóias" ou ainda como se sentirão, ao enfrentarem um novo ambiente, como a universidade, correndo o risco de ouvirem várias versões de colegas e professores, para seus nomes por vezes impronunciáveis.

Ontem foi divulgada a lista da UPE - Universidade de Pernambuco, que aprovou 3.530 feras. A lista ocupou 8 páginas de jornal. Porém, em apenas duas delas encontrei nomes suficientes para "abrilhantar" esse post de hoje. Eis alguns deles:

  • Klícia Charline (terceira filha, depois de Klácia Charlane e Klécia Charlene)
  • Martielly
  • Soyanne (Quase um óleo de soja)
  • Tailany
  • Kheylle
  • Rayra
  • Deybson
  • Marlyo
  • Temoteo (Com E mesmo)
  • Thairine (Deve ser uma "thairada")
  • Hordellane (nada mais justo - aprovada em Biologia)
  • Merodaque (Um mero nome)
  • Macicléia
  • Kalindra (lindro nome)
  • Thaylane
  • Eolanda (na Copa nem sabe se torce Brasil ou Holanda)
  • Karelly (irmã de Baratelly)
  • Orlânia
  • Margerytha (como porra se pronuncia isso)
  • Mayanne (My God!)
  • Alanderson (o filho de Alan... hahaha)
  • Dislayne (não digo nada...)
  • Sandecarlos (quase um Sandyjúnior)
  • Wriquilanea (santa criatividade do mau)

Diante de tamanhas "pérolas", chega a ser comum encontrar alguém que se chama "Ruth Raquel", condenada pelo próprio nome, à sina de levar dentro de si, as duas personalidades, boa e má, das gêmeas, personagens da saudosa novelista Ivany Ribeiro, em "Mulheres de Areia", protagonizadas por Eva Wilma, na primeira versão da novela, em 1973 e depois no remake, exibida nos anos 90, por Glória Pires.



Recife - PE

Comentários
3 Comentários

3 comentários:

Ignoto Jardim disse...

Super legal seu comentário sobre esses nomes. Tive uma aluna chamada perfídia. Acredita? Perfídia! Por causa da música, com esse nome. O pior era que a moça nem ao menos se deu conta do peso que era ter um nome tão horrível. Digo pior pq já existe uma lei que permite mudar o nome, nesses casos.
Por motivos de saúde eu ñ leciono mais, então quando ñ tem ninguém na biblioteca dou uma mãozinha na secretaria da escola. ainda ontem efetuei a matrícula de um menino de nome Royvane, e são incontáveis os Alecssandros, (assim mesmo), os Maykon, as kerolaine, já matriculei uma Querolaine, e tive uma aluna chamada Buana. Motivo: aquela música da Rita lee, que dizia assim: "Buana, buana, me chama que eu vou...".
O pessoal pensou que Rita tava chamando por alguém de nome Buana.
Qualquer dia vou escrever uma conversa que tive com um senhor, pai de uma aluno. parece ficção, mas foi real, foi muito engraçado.
engraçado e triste.
Ah, grata por seu coment, lá no meu Garden.
Com a idade aprendemos a dar tempo ao tempo. A vida nos ensina. Se nao ensina com amor , ensina pela dor.
Feliz Natal.
E o panetone do Arruda? Será que os pobres vão receber???Tô aguardando o meu!

Ignoto Jardim disse...

Eu lhe escrevi algo aqui, mas acho que nao pareceu, voltarei mais tarde para ver se está aki, caso contrário, voltarei a postar.
abração

evy disse...

kosakoasaskosaoksakoasko
Eu sabiaa! hahahahaaa
pensei que vc ia por os meus nomes estranhos aki okasokakaos, ai sim e ia rir hahahahahha
Um beijaum enorme seu bobo! =*
te adoro do tamanho do mundo!!!

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário. Sua opinião, sugestão e crítica construtiva, sempre será bem-vinda.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...