quarta-feira, 7 de abril de 2010

Vai uma saladinha aí? - Por Bruna Matos


Fiquei muito feliz ao receber o convite do Agostinho para escrever no blog "Salada à Brasileira”, em comemoração ao aniversário. Eu pensei em fazer tanta coisa, mas parecia que nada era bom o suficiente. Pensei em fazer uma poesia, ou postar uma música, uma história fascinante, ou quem sabe talvez colocar um vídeo, ou até mesmo pôr uma receita bem deliciosa, típica mesmo do Salada. Parei e refleti um pouco sobre isso. Percebi o quão curioso é o “modo de fazer” do Salada: com uma doce mistura de vídeos, poesias, músicas, histórias, o Poderoso Chefinho Agostinho Lopes fez uma receita deliciosa de uma pura e legitima mistura (por que não uma salada?) bem à brasileira. Um visual bem arretado com um toque de ousadia, ironia com (e muito!) humor e uma porção extragrande do tempero pernambucano fez nosso aperitivo virar O PRATO PRINCIPAL!


Queria algo que fizesse jus ao Salada, algo tão grandioso quanto.

Então navegando pelas ondas da net, encontrei um texto muito bacana, sobre passado e acrescentei um final correlacionando o futuro, que nos leva pensar um pouco na realidade atual.



Nostalgia

Há uns dez anos não existia Orkut. O 'te amo' não era banalizado. As crianças iam à parques de diversão e não tinham problemas de visão nem obesidade dados pelos videogames e computadores. MC Donalds custava R$4,00. Kinder Ovo, R$ 1,00. Os namoros duravam mais, ou pelo menos duravam alguma coisa; e traição era um escândalo. A piada da galinha atravessando a rua era engraçada. Biscoitos Fofy e Mirabel existiam. Para ser presidente eram necessários 10 dedos e um mínimo de alfabetização. Meninas de 11 anos brincavam de boneca, e não saíam pra 'pegar geral', meninos de 12 anos brincavam com revolveres de brinquedo. Plutão era um planeta. Festas de 15 anos não eram eventos. Ser 'playsson' ou 'pitboy' não fazia diferença. A intenção num show era ver o show, e não brigar. Tênis de luzinha era essencial. ICQ era o meio de comunicação. Fotos eram tiradas para recordarem um momento, e não para servir de book no Orkut. Diesel era combustível. Merthiolate ardia. Bonde era meio de transporte e bala era Juquinha e 7 Bello, e não perdida ou droga.

Mas o que vemos para o futuro é isso. Daqui a 50 anos, quando o BBB estiver na sua sexagésima edição, com o Pedro Bial apresentando (Ele pegou a fórmula da imortalidade com o Sarney!); Quando as crianças já nascerão com celulares implantados no braço; Quando nossas árvores forem todas artificiais; Quando uma parte da população já estiver habitando (e poluindo) a Lua; Quando os livros forem apenas artefatos antigos em um museu, alguém vai se perguntar:

- Que futuro é esse que estamos deixando para as nossas crianças?

Sendo que a pergunta certa seria:

- Que crianças são essas que estamos deixando para o futuro?

Muito sucesso para você meu amigo!

E em nome do Atal da Buh digo ao Salada à Brasileira: Quando eu crescer, eu quero ser igual a você! Rsrs...

Um forte abraço, fica com Deus.

Buh. =*


**********

Obrigado, Buh!

Essa garota é uma daquelas que nos fazem renovar as
esperanças na juventude atual e em sua capacidade
de renovação e transformação.

Acessem o "Atal da Buh" e vejam se não tenho razão



Lisboa - Portugal


Comentários
2 Comentários

2 comentários:

Buh: disse...

Ah, e feliz aniversário Salada!
Muitos e mais muitos anos de sucesso!
Aproveita a viagem Guto, beijo.
=*

Buh: disse...

Humm, que chique.. oia oia ele postou meu texto de Lisboa.... KKKKKKKK, adooooro!
Ei Guto obrigada mesmo pelo convite.
E desculpa, tava tão absorta esses dais que mal me toquei que foi páscoa domingo.
Então: FELIZ PÁSCOA ATRASADO!
=*

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário. Sua opinião, sugestão e crítica construtiva, sempre será bem-vinda.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...