sábado, 21 de agosto de 2010

Quintaneando num sábado!



"Quando duas pessoas fazem amor
Não estão apenas fazendo amor
Estão dando corda ao relógio do mundo"

"Quiseste expor teu coração a nu
E assim, ouvi-lhe todo amor alheio
Ah, pobre amigo, nunca saibas tu
Como é ridículo o amor... alheio"

"Fechei os olhos para não te ver
e a minha boca para não dizer...
E dos meus olhos fechados desceram lágrimas que não enxuguei
e da minha boca fechada nasceram sussurros
e palavras mudas que te dediquei
O amor é quando a gente mora um no outro"

"O meu amor, o meu amor, Maria
É como um fio telegráfico da estrada
Aonde vêm pousar as andorinhas...
De vez em quando chega uma
E canta
(não sei se as andorinhas cantam, mas vá lá!)
Canta e vai-se embora.
A última que passou
Limitou-se a fazer cocô
No meu pobre fio de vida!
No entanto, Maria, o meu amor é sempre o mesmo.
As andorinhas é que mudam"

Poemas soltos de Mário Quintana

Recife - PE
Comentários
2 Comentários

2 comentários:

Cantinho da Cê disse...

Pois é amigo, Quintana, num sábado frio, é sempre Quintana...lindos versos escolhidos...
Beijos da Cê sempre Cê

Monique disse...

Adoro!!!!!!!!!!!!!

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário. Sua opinião, sugestão e crítica construtiva, sempre será bem-vinda.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...