terça-feira, 27 de setembro de 2011

O rato escondido, com o rabo de fora!


O Brasil assistiu a semana passada a uma ação de nepotismo e de uso da máquina pública, em favor da deputada ana arraes, mãe do governador, eleita para uma vaga no TCU - Tribunal de Contas da União, graças a ação intensiva do governador junto aos deputados, segundo se noticiou até oferecendo liberação de verbas dos ministérios comandados pelo seu partido. A principal credencial da deputada é exatamente a de ser mãe do senador, pois tem dificuldades até mesmo de se expressar diante de um interlocutor mais capacitado.

O blog hoje reproduz matéria publicada na Folha de São Paulo e no "Blog do Josias", com denúncias documentadas contra o governador de Pernambuco e sua mãe, que reproduzo mais abaixo. A foto acima também foi publicada no blog.


1. A BSB Locadora oferece como endereço uma sala situada em Samanbaia, um bairro pobre do Distrito Federal.

2. A sala está fechada. Olhando-se pela porta, de virdo, enxerga-se: uma mesa, um computador antigo, um telepone, colchões velhos e material para festas infantis.

3. Entre os clientes da locadora estão o escritório de representação de Pernambuco em Brasília e o gabinete parlamentar de Ana Arraes.

4. Juntos, o governador-filho e a deputada-mãe já destinaram à caixa registradora da BSB Locadora R$ 303 mil.

5. Desse total, R$ 210 mil foram providos pelo governo de Eduardo. Outros R$ 93 mil foram pendurados por Ana nas arcas da Câmara.

6. Renata, a sócia da locadora, filiou-se ao PSB em outubro de 2009. Uma semana antes, venceu licitação para fornecer automóveis ao escritório de Pernambuco.

7. O pai de Renata, Esmerino Ferreira, trabalha no gabinete de Ana Arraes desde 2007. Antes, fora motorista de Eduardo entre 1998 e 2006, quando ele era deputado.

8. Além de sócia da locadora, Renata é servidora terceirizada do Ministério da Ciência e Tecnologia. Pasta que, sob Lula, era da cota do PSB e teve Eduardo como ministro.

9. O aparelho de fax instalado na casa de Renata não traz no cabeçalho o nome dela ou de sua empresa. Anota: “Deputado Eduardo Campos”.

10. A locadora foi fundada em 21 de julho de 2008. Nessa época, não dispunha de veículos. Um dos sócios de Renata diz que a empresa locava carros da família.

11. No ano seguinte, a BSB Locadora foi aquinhoada com o contrato que a ligou ao escritório de representação de Pernambuco na Capital.

12. Desde então, a empresa incluiu no seu rol clientes o diretório nacional do PSB e outros deputados federais.

13. Somando-se tudo o que já recebeu em verbas públicas, chega-se à cifra de R$ 540 mil. Agora, a firma já possui cinco carros em seu nome. Patrimônio de R$ 275 mil.

14. Considerando-se a clientela, a frota revela-se insuficiente. Ao governo de Pernambuco, a empresa diz fornecer três veículos.

15. Precisaria de mais quatro carros para atender aos deputados que dizem pagar para dispor de um carro cada um.

16. Além de Ana, são clientes da BSB: Carlos Eduardo Cadoca (PSC-PE), Keiko Ota (PSB-SP) e Gastão Vieira (PMDB-MA), que acaba de ser nomeado ministro do Turismo.

17. Procurado, o governador Eduardo manifestou-se por meio de nota. Disse que o contrato com a BSB Locadora foi precedido de licitação.

18. Negou que o vínculo da proprietária com o PSB tenha influído na contratação. Negou também que a tenha indicado para trabalhar na pasta da Ciência e Tecnologia.

19. Quanto ao fax que expede mensagens com seu nome no cabeçalho, Eduardo alegou que presenteou Esmerino, o pai de Renata, com um aparelho particular. Atribui a “mero esquecimento” o fato de seu nome ainda constar das mensagens enviadas a partir da máquina que presenteou.

20. Ouvida, Ana Arraes alegou que a locadora foi contratada porque ofereceu o menor preço. Ela não vê relevância no fato de a sócia da empresa ser filha de Esmerino, funcionário de seu gabinete e ex-motorista do filho Eduardo.

21. "O que importa, o que é relevante”, diz a deputada, “é que a empresa tenha condições de manter o objeto do contrato." Renata jura que tem condições. Quando necessário, diz ela, sua locadora opera com carros “terceirizados”.

22. Ana e os outros deputados que penduram notas da locadora na contabilidade da Câmara afirmam que as despesas foram atestadas pela Casa.

23. Esse caso de contornos esquisitos chega às manchetes uma semana depois de Ana Arraes ter sido indicada pela Câmara para ocupar uma poltrona de ministra do TCU.

24. Guindada ao posto graças sobretudo à credencial de mãe de Eduardo, seu principal articulador, Ana terá entre suas novas atribuições a tarefa de fiscalizar o uso de verbas públicas.




Cabo de Santo Agostinho - PE
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário. Sua opinião, sugestão e crítica construtiva, sempre será bem-vinda.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...