segunda-feira, 2 de abril de 2012

Semana de Comemorações


Onde foi aberta a Semana Santa, dias de reflexão para os Cristãos, culminando com o "Domingo de Páscoa.

Mas também de comemorações pois no próximo sábado, dia 07, este blog completa 05 anos ininterruptos. É como um filho que "alimento" diariamente, com raras excessões.

E como o vinho é a bebida mais indicada à semana, deixo algumas dicas sobre como comprar e como guardar vinhos, publicada inicialmente em minha coluna, a Vinhos & Afins, no dia 12 de janeiro deste ano.

Eis o artigo:

Como comprar?

A maioria das pessoas compra seus vinhos em supermercados ou, mais raramente, em casas especializadas. A vantagem do primeiro são os preços, geralmente mais convidativos, enquanto que a vantagem das casas especializadas, é a de que mantêm funcionários especializados, que podem dar dicas importantes sobre o vinho mais adequado, harmonização, etc. Em algumas dessas casas é possível ainda, provar o vinho, quando mantém algumas garrafas abertas com esse objetivo. Porém fiquemos sempre atentos a uma máxima: “o preço nem sempre é indicativo de qualidade do vinho”.

Como armazenar em casa?

A crença de que adquirir um vinho barato ou até mesmo de preço médio e guardá-lo no armário por alguns anos, o tornará melhor, é um grave erro. Somente os chamados “vinhos de guarda”, evoluem com o passar do tempo, desde que adequadamente armazenados. Os vinhos ao qual nos referimos, deverão ser tomados por, no máximo, dois anos após a compra, desde que adequadamente guardados.

Todos os vinhos com rolha de cortiça, até mesmo os mais baratos, devem ser guardados deitados, umidade relativa entre 65% e 75%, longe da luz e em temperatura amena e constante, não superior a 24º Celsius, pois acima disso o vinho começa a oxidar. Nunca armazene seus vinhos na cozinha, onde as temperaturas costumam ultrapassar os 35° Celsius. Se o sistema de fechamento for por rolha sintética ou screwcap (tampa de rosca), o vinho pode ficar armazenado na vertical.

As garrafas devem ser mantidas no escuro, porque a luz ultravioleta estraga o vinho, inclusive a luz emitida por lâmpadas fluorescentes. Se não tiver uma adega, uma despensa ou um armário fechado guarde-os numa caixa, cobertos com um pano.

Evite ainda guardar o vinho junto a objetos que produzam vibração, que poderá influenciar negativamente o vinho. As garrafeiras de madeira ou de plástico, são ideais por permitir que cada garrafa fique armazenada separadamente das demais, evitando vibrações quando da retirada de uma delas, por exemplo.

Para aqueles que pretendem “ousar” um pouco mais e investir em “vinhos de guarda”, para beber no futuro, uma adega é indispensável, onde além das condições acima, o vinho será mantido numa temperatura não superior a 13º Celsius, mas não abaixo disso, o que pode atrasar o “amadurecimento” dos taninos e a consequente evolução do vinho.

Muitos poderão dizer: “Mas é muita frescura com os vinhos, até parecem bebê”. E eu respondo: Sim, são cuidados necessários se você realmente quer tomar o vinho, tirando dele tudo o que de bom ele pode oferecer, pois diferente da maioria das bebidas, o vinho é sim um “ser vivo” em evolução.


Um brinde (com vinho), à semana, então!


São Paulo - SP

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário. Sua opinião, sugestão e crítica construtiva, sempre será bem-vinda.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...